fbpx

Funcionamento:

Segunda a Quinta, das 8h às 16h
Sexta e Sábado, das 8h às 17h
Domingos e Feriados, das 8h às 13h

  • Você sabe como adubar sua planta

    6 de novembro de 2018

    Quando nos propomos a cultivar plantas, devemos tomar alguns cuidados com o manuseio, o cultivo, a manutenção e a fertilização. Algumas plantas são muito sensíveis e precisamos prestar muito atenção ao ambiente onde a colocamos, se elas se adaptaram se estão amareladas ou secas, se o local tem a quantidade de luz adequada, se o vaso que a abriga está no tamanho ideal.

    Enfim, temos que cuidar para que tenhamos uma planta bonita e harmoniosa, pois é o sonho de todos nós que cultivamos plantas, que elas fiquem bonitas e as saudáveis tanto fora, quanto dentro de casa. As plantas por ser um ser vivo, também precisa do alimento adequado. E para elas, o alimento ideal é o fertilizante, que é um composto de nutrientes e de vários tipos, pois algumas plantas adaptam a um tipo e outras, a outros tipos de fertilizante.

    É muito comum as plantas ficarem com deficiência de nutrição e estes são alguns dos sintomas causados quando as plantas estão desnutridas:

    • O crescimento se torna lento;
    • Espécies floríferas apresentam floração pobre ou ausente, com colorido apagado e sem vida;
    • A planta fica com os caules e as hastes fracas e debilitadas;
    • A folhagem apresenta-se pequena, com folhas miúdas, sem brilho ou amareladas.
    • As folhas inferiores caem com facilidade e a planta fica menos resistente ao ataque de pragas ou doenças.

    Os nutrientes de que as plantas necessitam são o Nitrogênio (N), o Potássio (K) e o Fósforo (P). O Nitrogênio age na parte verde favorecendo a brotação, o Fósforo estimula e favorece a floração e a fertilização e por fim o Potássio, que está envolvido com todos os processos, como a fotossíntese, por exemplo. O Potássio também favorece a planta de maneira global, protegendo raízes, caules e ramos. Existem outros nutrientes que também são de fundamental importância na fertilização, entretanto a sua quantidade é bem menor, como cálcio, magnésio, enxofre, cobre, ferro, manganês, zinco, boro e molibdênio.

    E qual adubo usar? Bom, existem vários tipos de adubos para os diversos tipos de plantas. Veja alguns:

    • Orgânico – Compreende ativos de origem vegetal ou animal e, assim, não polui o meio ambiente. Seus teores nutricionais são relativamente baixos, a absorção pelo jardim é lenta e é preciso usá-lo em quantidades maiores.

    Exemplos: materiais decompostos ou compostagem (processo que transforma restos vegetais em adubos), húmus de minhoca, torta de mamona, torta de algodão, estercos curtidos (suíno, bovino, caprino), farinha de ossos, de carne ou de peixe, lodo de esgoto, borra de café e cinza de madeira.

    • Químico – Sintetiza os elementos essenciais (NPK) e, em alguns casos, outros menos importantes. É mais concentrado e exige dosagem baixa. O percentual de cada mineral é indicado em números, como 4-14-8 (4% de nitrogênio, 14% de fósforo e 8% de potássio) Se a planta estiver bem, use uma fórmula balanceada, como 10-10-10. Se bem orientado, o uso doméstico pode ser uma boa alternativa. Nós trabalhamos com NPK 4-14-8 e 10-10-10 da casa e também com a FORTH, um excelente fertilizante que na sua linha de produtos contém cada “baldinho” para cada área especifica (Coqueiros, Flores, Frutas, Hortaliças, Jardim em geral, Palmeiras, Plantio entre outros)


    Quando adubar?

    A frequência varia de acordo com a espécie cultivada, mas, de uma maneira geral, recomenda-se adubar a cada 30 dias. Importante: durante o crescimento, há mais carência de água e adubo. Dosagem e forma de aplicação devem seguir as indicações do fabricante que constam na embalagem. A terra deve ser imediatamente irrigada após a adubação.

    As folhas que caem devolvem ao solo vários nutrientes. Se possível, não as remova do vaso, floreira ou jardim.

    Quando não adubar?

    • Antes de 30 dias após a última adubação, o excesso de nutrientes pode matar a planta;
    • Se houver raízes danificadas ou podres, pois pode piorar o quadro. Nesses casos, o melhor é só irrigar e esperar a recuperação;
    • Durante a floração, quando a planta para de crescer;
    • No inverno, época em que as plantas entram em dormência ou descanso, e por isso perdem as folhas;
    • Logo após transplantar ou cortar raízes, fase de regeneração do crescimento. O correto é só adubar após quatro semanas.

    Agora não tem mais desculpas para deixar suas plantinhas sem nutrientes né? Já que está expert em adubação, vamos cuidar para deixar mais belo o seu jardim !!!