Conversar com plantas realmente ajuda no desenvolvimento?

Conversar com plantas realmente ajuda no desenvolvimento?

Diversos estudos em todo o mundo procuram compreender e detalhar o comportamento das plantas. Ações que alguns vão entender como instinto automático de sobrevivência, algo que vai muito mais além do que somente se inclinar a procura do sol. Conversar com as plantas trazem diversos resultados, que são observados, sobretudo no seu desenvolvimento.

Algumas das interações das plantas são conhecidas, como a sua interação com o ambiente, a maneira como evoluem pela sobrevivência e as suas ações de reprodução e defesa. Um exemplo claro é que algumas espécies agem com mudança de cores e odores em suas flores para poder captar insetos.

O que diz a ciência

Através do instinto automático de sobrevivência, pode-se concluir que as plantas têm um mecanismo de interação. Os receptores de som em nada são semelhantes a um ouvido humano ou mesmo de animal. Contudo, o hábito de conversar com elas de fato pode trazer resultados positivos.

A ciência diz que quando se fala com uma planta os humanos liberam CO² ao redor dela, através da respiração. As plantas precisam desse gás para utilizá-lo como matéria prima para a fotossíntese. Logo, por pequena que seja, a quantidade de CO² expelida na prática ajuda a planta a se manter saudável e crescer.

Questões além do físico

Contudo, saindo um pouco do campo das ciências aplicadas, a metafísica atribui outros desdobramentos ao hábito de conversar com as plantas. Assim acreditando em transmissão de energia e vibrações, que agregam a esses seres uma força motriz para o seu crescimento. Questões relacionadas ao espiritualismo e crenças também podem ser relacionados aqui.

Alguns experimentos não oficiais ou científicos descrevem as consequências de dizerem palavras boas e más para as plantas. O primeiro grupo cresce com mais cor, brilho e desenvolvimento, enquanto o segundo apresenta mais dificuldades para expandir com qualidade e saúde.

A forma como captam energia faz diferença

Os estudos sobre o desenvolvimento das plantas por meio de interação ainda estão no começo quando comparado com os demais assuntos de botânica e biologia. Todas essas reações à fala e demais impulsos feitos externamente tem a ver com o caminho evolutivo que tiveram, que é completamente diferente.

As plantas utilizam soluções de sobrevivência que são mais lentas e econômicas, vide a forma como elas absorvem energia. Enquanto os animais precisam se alimentar de outros seres vivos, vegetais ou animais, as plantas retiram luz solar. Junte-se a isso a gama de vitaminas e sais minerais que captam do solo.

Um hábito que faz bem para as plantas e pessoas

Pode-se dizer que as plantas são animais muito lentos, pois uma vez que a forma de absorção de energia é diferente, ela não tem a necessidade de ser hiperativa. No entanto, elas entendem, podem ouvir, sentir ameaça e reagir. Nada semelhante aos humanos ou demais animais, mas sim da sua forma.

Portanto, continue falando com elas e promova um crescimento saudável e feliz. Base científica há para isso, além de suas próprias experiências. Ao final cria-se um elo que faz bem para as plantas e para as pessoas.

Leia mais sobre o assunto e muito mais a respeito das plantas. Entre em contato conosco para tirar dúvidas e para conhecer mais sobre o nosso trabalho através do WhatsApp.



Precisa de ajuda?